FETEB Federação de comunidades terapêuticas evangélicas do Brasil

 

Há 45 anos atrás, em meados de outubro de 1972, chegava a Brasília o autor do livro “A CRUZ E O PUNHAL”, já traduzido para o português, o já lendário pastor norte-americano DAVID WILKERSON. Ele se notabilizara por ter sido preso no Fórum de Nova York, quando tentava defender sete jovens que haviam matado um adolescente numa cadeira de rodas, estando todos eles sob o domínio das drogas. A fato percorreu o mundo e o seu livro tornou-se best-seller, traduzido em várias línguas.

Esse pastor, jovem, magricela, simples, mas com um olhar firme e penetrante, que impressionava multidões com suas experiências junto a esses usuários de drogas, utilizando tão somente a Palavra de Deus e tendo a Bíblia como arma de libertação, despertou os brasileiros. Em especial os líderes e os jovens, para uma cruzada de esperança para que o mesmo fenômeno ocorresse em nosso país. Em pouco tempo começaram a se levantar obras em todas as regiões do Brasil. Já havia um trabalho em Goiânia- “Movimento Jovens Livres” e outros surgiram, a maioria com a denominação Desafio Jovem, como a de Brasília, e outras como o Esquadrão da Vida, de Bauru, e o Movimento S-8, em Niterói. Seus dirigentes foram considerados os pioneiros desta obra extraordinária que cresceria em nosso país: Paulina e Paulo Brasil, Galdino Moreira Filho, Edmundo Munis Chaves, e através deles dezenas de outras entidades foram criadas.

 

A história do Desafio Jovem do Brasil teve duas etapas. A primeira, de 1977 a 1982, quando foi fundada e teve como seu primeiro Presidente o saudoso Pr Bernardo Johnson, responsável pela vinda de David Wilkerson ao Brasil, e grande amigo das obras de recuperação. A esse homem incansável, muito deve o Desafio Jovem do Brasil. Não podendo continuar na presidência da obra nacional, assumiu o cargo o Diretor Executivo, então Professor Galdino Moreira Filho, que presidiu até 1982. Ao se retirar da presidência, foi substituído pelo Pr Nilton Tuller e logo depois pelo Pr. Carlos Alberto Leandro. Por razões diversas, a obra nacional foi se desativando e durante muitos anos ficou acéfala.

O movimento nacional só se rearticulou em 1995, mas não como Desafio Jovem do Brasil, e sim com o nome de FETEB (Federação de Comunidades Terapêuticas Evangélicas do Brasil), mais uma vez sob a Presidência do Pastor Galdino Moreira Filho e de outros líderes da nova geração, com um programa inovador e eficiente que despertaria centenas de entidades na luta constante contra as drogas. A FETEB surgiu com o Propósito de Representar as comunidades terapêuticas evangélicas do Brasil defendendo o modelo Cts nas políticas públicas sobre drogas! Foram presidentes nessa altura os irmãos Edmundo Muniz Chaves, Pr Carlos Roberto Pereira da Silva, e  o Irmão Vânio de Oliveira e Atualmente o Pastor Wellington Antônio Vieira  que trouxe uma visão  inovadora mais ampla em relação a  Dependência química criando estratégia de expandir a Federação FETEB  em todo território nacional levando os cursos modular de Coordenador e Monitor de comunidades terapêuticas para sua área de atuação, através da formação, aperfeiçoamento, especialização e treinamento de profissionais e voluntários de diferentes níveis. Hoje o número de coordenadores e Monitor formados pela FETEB chega a quase 1000 e mais de 600 comunidades terapêuticas filiadas a Federação.

 

A FETEB também vem participando e realizando congressos, simpósios, encontros ou reuniões científicas que visem a divulgação ou debate de assuntos ligados a área da Dependência química em todo território nacional participando incansavelmente de programas de prevenção, recuperação ou reinserção social, relacionados com a dependência química.

A FETEB acredita na recuperação do dependente químico!

FETEB desde 1995 na luta contra as drogas